quarta-feira, 28 de setembro de 2016

UM DIA NO SANTUÁRIO COM A MÃE RAINHA E VENCEDORA



Mãe Admirável , ó mãe peregrina , a tua visita aquece e ilumina !
Visitar o Teu Santuário , também aquece meu coração!
chegada ao santuário

Cada dia 18 uma oportunidade para renovar nossa Aliança de Amor com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt em Família e pela Família.


Então , neste ultimo dia 18 de Setembro saímos em Romaria rumo ao santuário da Mãe rainha em Jacarezinho, Paraná
Todos juntos , como numa grande família para renovarmos juntos a Aliança de Amor com Maria, recebendo novamente a nossa missão, de sermos coração da Igreja e alma do mundo. Ajudando a construir na força desse envio uma “Nova Cultura de Aliança” na sociedade de hoje.

nu busca

Neste dia agradecemos a Deus pelas graças recebidas , pela atuação do Espírito santo em nós , nos concedendo muitas graças. Recordamos a aliança que selamos com Deus no dia de nosso Batismo quando nos tornamos morada de Deus , templo fecundo do Espírito Santo. 

Agradecemos a Maria , porque em suas mãos maternas nos colocamos e sem dúvida é ela quem prepara o nosso coração para o atuar fecundo do Divino Espírito Santo .
Bondosa Mãe e Rainha, queremos permanecer contigo numa contínua e profunda Aliança de Amor, para que as horas difíceis da vida não abalem nossa fidelidade ; para que, envoltos no teu amor, nos tornemos semelhantes a teu divino Filho e com ele glorifiquemos a Deus Pai.



: Em teu bondoso coração materno colocamos nossas contribuições ao Capital de Graças: as alegrias e os sofrimentos, as lutas e vitórias e tudo quanto pudemos realizar em boas obras, no decorrer do mês que passou. De modo especial, aceita, Mãe, nosso coração com seus anseios, cuidados e preocupações


Que tudo seja transformado em graças para as famílias e para tantas pessoas que vivem afastadas de Deus.

Quando fazemos a Aliança de Amor com Maria , queremos provar por meio de ações que amamos realmente a Mãe de Deus e estamos dispostos a levar a sério os nossos propósitos



quinta-feira, 21 de abril de 2016

COMO PREPARAR UM ENCONTRO DE CATEQUESE


ENCONTRO DE CATEQUESE ...
É O CANAL, O MEIO ATRAVÉS DO QUAL CATEQUISTA E CATEQUIZAND@S, NUMA EXPERIÊNCIA DE CONHECIMENTO, REFLEXÃO, CELEBRAÇÃO E AÇÃO, REALIZAM JUNTOS O ENCONTRO INDIVIDUAL E COMUNITÁRIO COM DEUS.
COMO PREPARAR UM ENCONTRO DE CATEQUESE •
PREPARAR UM ENCONTRO COM...
 A MOTIVAÇÃO DE QUEM PREPARA UMA FESTA... 
A FESTA DO ENCONTRO! • ENCONTRO DE PESSOAS • ENCONTRO ENTRE CATEQUISTA E CATEQUIZANDOS •
ENCONTRO ENTRE O GRUPO COM JESUS
O ENCONTRO :
• O catequista deve encadear etapas no encontro que envolvem o ... ENSINAR – APRENDER – SENTIR – CRIAR – DESCOBRIR - EXPERIENCIAR 
TRÊS MOMENTOS SIGNIFICATIVOS PARA O ENCONTRO DE CATEQUESE:
1. ANTES DO ENCONTRO
2. DURANTE O ENCONTRO
3. DEPOIS DO ENCONTRO
  • ANTES DO ENCONTRO - Ler o subsídio base Escolher o tema principal . Selecionar textos complementares, filmes, dinâmicas...facilitando a compreensão da mensagem; Programar o tempo para as atividades que foram planejadas; Pensar na organização do ambiente; cartaz e/ou símbolo .
Ler o texto bíblico e se aprofundar no tema; Definir o que é prioridade .
  • ANTES DO ENCONTRO -Adequar o conteúdo de acordo com a idade do catequizando; Criar intimidade com o conteúdo a ser desenvolvido no encontro .Planejar o desenvolvimento do encontro; acolhida - estudo – atividades - celebração -
Ação: Pesquisar os acontecimentos da semana e dados da vida dos catequizandos que possam contribuir no desenvolvimento do conteúdo;
  • DURANTE O ENCONTRO: Mesas com cadeiras Sem quadro negro/ verde,
Bíblia em destaque Ambão da Palavra, Vela, flores, água .
Ambiente areajado, alegre, sem muitos cartazes pregados nas paredes (escola), poucos cartazes e significativos (não poluir o visual;
Imagem de Jesus, crucificado ou ressuscitado;
  • DURANTE O ENCONTRO: Chegar com antecedência .Preparar o ambiente Fazer uma boa acolhida Apresentar o conteúdo permitindo espaço para intervenções e contribuições dos catequizandos. Assumir a postura de acolhimento e escuta .Envolver a todos, conquistando confiança .
  • DURANTE O ENCONTRO: Lidar com as diferentes ideias e contribuições .Saber valorizar a todos .Dividir bem o tempo, sem reduzir as manifestações do grupo.
Controlar suas emoções e as do grupo. Conduzir o grupo a uma convivência serena e fraterna Favorecer a participação.
É importante ter presente – caderno e caneta ou lápis para anotações( opcional). Cada catequista tem a sua didática própria . Mais que escrever versículos e versículos , o importante é a mensagem que deverá ser vivenciada durante a semana.
O catequista pode ele mesmo distribuir canetas e papel para possíveis anotações ou execução de atividades.
  • DEPOIS DO ENCONTRO :Cada encontro deve abrir novas perspectivas para a aplicação das novas descobertas na vida e para os próximos encontros;
Cada encontro deve provocar no catequizando o desejo de vivenciar aquilo que foi transmitido. Muitas ações poderão ser realizadas no decorrer da semana e por toda a vida;
  • DEPOIS DO ENCONTRO: A mensagem do encontro assim como o Evangelho é para ser ouvido, vivido e transmitido – ação transformadora, segundo o Plano de Deus.
A avaliação da ação catequética deve ser realizada para verificar se os objetivos foram ou estão sendo alcançados. Se é preciso fazer uma readaptação . O catequista se auto avalia e avalia a turma

quarta-feira, 30 de março de 2016

"EU VI O SENHOR ! Jo 20 ,1.11-18




Vamos  acompanhar Maria Madalena na sua procura de Jesus
Ela é uma das três mulheres que estiveram junto à cruz. Ela esperou todo o sábado e a noite do dia seguinte, mas se levanta apressadamente de madrugada (Sl 63,2).
O versículo 1 diz que no primeiro dia da semana, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, Maria Madalena foi ao túmulo e viu que a pedra havia sido retirada do túmulo. Maria ficou do lado de fora, chorando.
Ainda estava escuro. Escuridão, no Evangelho de João, simboliza não somente a escuridão exterior, mas também interior. O coração de Maria estava no escuro, triste por causa dos últimos acontecimentos.
Maria viu dois anjos que lhe perguntaram: “Por que choras?” Ela respondeu: “Levaram meu Senhor e não sei onde o colocaram”. (Verificamos agora, no Livro dos Cânticos, 3,1-4, a angústia da amada.)
Maria virou-se e viu Jesus, mas pensou que era o jardineiro (referência ao jardim). Perguntou novamente: “Senhor, se foste tu que o levaste, dize-me onde o colocaste, e eu irei buscá-lo”.
Neste momento, se deu o feliz encontro. Jesus pronunciou seu nome, e ela reconheceu o Senhor. Exclamou: “Rabuni” (Mestre).”É a voz do meu amado” ,diz o Cântico (2,8). É a voz do pastor que conhece suas ovelhas, diz João 10,3).
O livro Cântico dos Cânticos termina com uma linda exclamação de amor que é para ler e meditar agora: Ct 8,6-7.
O envio
Jesus disse a Maria: “Vai dizer aos meus irmãos: ”subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. E Maria foi anunciar aos discípulos: “EU VI O SENHOR!”. Maria tornou-se assim a primeira anunciadora da ressurreição.
Anuncio a alegria da ressurreição através de meu testemunho de vida? Posso dizer, como Maria: Eu vi o Senhor, eu ouvi sua voz e ele me chamou pelo nome?
Leia, agora de novo, o texto de João (2,1.11-18). Coloque-se diante do Senhor, como Madalena. Abra seu coração e fale com ele o que lhe brota do coração neste momento. Fique na sua presença, em silêncio, o maior tempo possível.

A Pedra foi revolvida ! O sepulcro estava vazio !”


Pedra revolvida , sepulcro vazio !Significado de um novo tempo para os discípulos de Jesus ! Um novo tempo para nós !
Há esperança para a mãe que ora pelo filho desencaminhado, para a esposa que ora pelo esposo, para o nosso planeta, nossa “casa comum” , que “ geme em dores de parto”, Para o nosso país que parece chafurdado num mar de lama da corrupção da violência e das injustiças sociais !
Sim , a ressurreição renova em nós esta esperança ! Não basta apenas que rezemos , mas que façamos a nossa parte , busquemos a transformação com gestos concretos que gerem mudanças . É preciso a ação de cada um . Por isso a Ressurreição exige de nós um pouco mais . Exige que façamos uma “ passagem “ da vida acomodada para uma vida de ação e gestos que transformam !
É muito importante que o tema da ressurreição esteja vivo dentro de nós, no testemunho de nossa fé, já quem sem a ressurreição a nossa fé será vã.
A mensagem da “pedra revolvida” e do “túmulo vazio” é a mensagem da esperança e da Salvação. Ela continua atual e pode mudar vidas nesse tempo em que nós vivemos.
Se você não puder lembrar muita coisa, lembre-se disto: a pedra foi revolvida, o túmulo estava vazio; os discípulos viram e creram. Jesus está vivo e continua se revelando às pessoas ainda hoje.
É possível que ainda hoje pessoas estejam vivenciando a experiência da pedra que se apresenta como obstáculo; do túmulo que representa a frustração da esperança, o final de um projeto de vida.
A mensagem da ressurreição de Jesus representa a superação do obstáculo, o surgimento da esperança, o nascimento da nova Vida.

terça-feira, 29 de março de 2016

Segunda -feira da oitava da Páscoa

"Segunda-feira do Anjo":


Essa pouco conhecida designação de uma data - o dia que se segue anualmente ao Domingo da Ressurreição (Páscoa) - foi explicada pelo Papa João Paulo II por ocasião do Regina Caeli em 31 de Março de 1997. Apreciemos as palavras do Pontífice, dirigidas à multidão de atentos fiéis reunidos na Praça de São Pedro naquele dia:
Caríssimos Irmãos e Irmãs!
1. Hoje é a Segunda-Feira de Páscoa, tradicionalmente chamada a Segunda- Feira do Anjo porque, no evento extraordinário da Ressurreição, os anjos aparecem, ao lado das mulheres e dos Apóstolos, como protagonistas significativos.
É precisamente um anjo que, do sepulcro vazio, dirige a primeira mensagem às mulheres que ali chegam para completar a inumação do corpo de Jesus. Ele diz-lhes: « Não vos assusteis!" E acrescenta: «Buscais a Jesus de Nazaré, o Crucificado Ressuscitou, não está aqui» (Mc. 16, 6).
Os anjos, além de na Ressurreição, estão presentes com discrição em todos os momentos mais importantes da vida de Jesus. Anunciam o Seu nascimento (cf. Mt. 1, 20; Lc. 1, 26; 2, 9), guiam a Sua fuga para o Egipto e o retorno à Pátria (cf. Mt. 2, 13.19), servem-Lhe de conforto no final das tentações no deserto (cf. Mt. 4, 11) e na hora da paixão (cf. Lc. 22, 43); no fim dos tempos, estarão ao lado do Redentor no momento do Juízo sobre a história e o mundo (cf. Mt. 13, 41).

2.Os anjos, portanto, estão ao serviço dos planos de Deus nos momentos fundamentais da história da salvação. Como enviados de Deus, funcionam como mensageiros da Sua vontade redentora.

Sábado Santo - dia dedicado à Maria Mãe de Deus

No Sábado Santo , após todo sofrimento de Cristo na Cruz , a Igreja volta seu olhar para Maria sua mãe 

Ela se encontra na casa de João. O discípulo amado a levou para lá, após o sepultamento de Jesus, cumprindo uma de suas últimas palavras na cruz: “Mulher, eis aí o teu filho. Filho, eis aí tua Mãe.”
Vamos encontrá-la em um quarto retirado, meditando sobre a vida de seu querido filho. Ela o revê criancinha... Belém...Nazaré... a despedida antes da vida pública...Caná...e outros momentos caros ao seu coração, agora transpassado pela espada de que falara Simeão, quando da apresentação de Jesus no Templo. De fato ela agora é a Senhora das Dores. Tudo quanto ela “conservava em seu coração” e sobretudo o que viu na Paixão, ela revive.
Mas a solidão está cheia de fé e de esperança, do mesmo modo como está cheia de tristeza.
Maria fica de pé em sua fé intacta, inabalável como gostamos de dizer. Ela nunca teve as flutuações, as hesitações da fé dos discípulos.
Seu filho acabou de sofrer. Está terminada a fase dolorosa da redenção.
Maria sabe que a Ressurreição é certa e está próxima. Recorda as palavras pelas quais Jesus anunciou sua Ressurreição.
Já no Calvário ela presenciou a aurora da ressurreição, da vida nova, dos efeitos da redenção através da conversão de Dimas, o ladrão que professou a fé em Jesus; através da declaração do centurião de que verdadeiramente Jesus era justo; através da atitude de todas as pessoas que desciam do monte e voltavam para suas casas batendo no peito em sinal de arrependimento e contrição...
Maria, em seu quarto, recebe os discípulos: Pedro, que chora sua fraqueza; João, que chora um amigo; os demais, que haviam fugido. Um a um eles retornam.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Encontro de catequese : "Quem é meu próximo?"



PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO
 
imagem google

OBJETIVOS
- Sensibilizar a criança sobre as diversas oportunidades de auxiliar as pessoas que encontram em seu dia-a-dia;



-Refletir sobre a importância de não cultivar no coração quaisquer tipos de preconceitos (raça, religião, cor, etc);

- Destacar que a Parábola exemplifica os ensinamentos de Jesus, como a caridade e a humildade, duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho;


Conversando
 
A- Se você encontrar uma pessoa precisando de ajuda, qual deve ser sua atitude? 
Se você visse uma pessoa caída na rua ou calçada, como agiria?
Fingiria que não a viu, chamaria o pronto socorro e ia embora ou, se aproximava da pessoa para procurar ajudá-la.



B- Jesus contou esta história no tempo que viveu aqui entre nós

 Ele contava histórias, pois através dessas histórias ensinava grandes coisas às pessoas.

C-LEITURA DO EVANGELHO: O bom samaritano: Lc 10,  25-37



  • Ler a Parábola  com atenção para refletir sobre a profundidade e riqueza dos ensinamentos e valores morais nela contidos (tais como humildade, brandura, benevolência, generosidade, indulgência, confiança, desprendimento, etc).
     
  • VIVENDO A PALAVRA

    Atualizando a história : O catequista poderá ilustrar o encontro com uma história semelhante, de sua vivência ou de seu conhecimento

    Exemplo :( Este é um próprio testemunho meu)

     Certo dia , numa manhã chuvosa  e fria eu ia passando pela praça da Igreja .
    Era quinta-feira, dia em que o Santíssimo fica exposto  durante o dia todo.
    Como chovia, eu atravessei a praça rapidamente sem prestar muita atenção. Apressada como estava e embaixo da chuva só pensava em chegar logo à Igreja , onde iria durante  alguns minutos permanecer em adoração diante do Santíssimo.

    Depois de dar alguns passos, quase já na porta da Igreja , “senti “ que parece que algo se movera enquanto  eu passava . Voltei-me  para trás e então vi um senhor que estava deitado sobre a calçada embaixo do monumento da Santa Ceia.
     Assim que notou meu  interesse por sua pessoa, o andante se levantou como se a querer dizer algo.  

     Mas eu me  voltei e entrei logo  na Igreja. Mas meu coração indagava : “ Que fazia aquele homem apenas com uma mochila àquela hora da manhã fria e chuvosa , como se estivesse sem rumo ?
    Meu  coração me dizia que precisava saber o que estava acontecendo. Precisava ouvi-lo, precisava ajudá-lo, pois ele parecia sem rumo.

     Ajoelhada então diante do Santíssimo pedi em oração: "Jesus , mostra-me como . Preciso ajudar aquele homem, mas de que maneira? Fala-me, Senhor Jesus !"
    Fiquei ali ajoelhada apenas alguns minutos falando com Deus e saí decidida: iria abordar aquele homem e ver como poderia ajudá-lo. 
    Mas ao chegar à praça, fiquei um pouco decepcionada. O homem havia ido embora. Bem, talvez aquele não fosse o momento. O Senhor por certo não desejava minha intervenção. Ou ,minhas preces não tinham sido ouvidas. Não conseguira passar a mensagem a Deus.  Minha  prece havia caído no vazio...

    Resolvi que seguiria meu caminho . Mas , quando me volto para  mais uma vez lançar um olhar  pela praça vazia , eis que o vejo  surgir quase já bem próximo . . E vinha  em minha  direção.
    Chamei-o  e  juntos fomos  para a entrada da Igreja , onde podíamos ficar protegidos da chuva

    Ficamos  ali conversando durante alguns minutos que me permitiram conhecer uma parte da sua história . Seu destino era São Paulo .Iria em busca das filhas que lá moram . Havia sido assaltado na rodoviária de Sertanópolis. Estava apenas com os documentos , os quais me mostrou . O que me fez colocar mais crédito em sua história . Disse-me  até o nome das filhas , onde moravam e chorou quando mencionou as netas gêmeas Tainá e Tainara .
    Havia chegado na noite anterior e uma alma boa lhe dera um prato de comida , um cobertor e a camisa que vestia . A cama foi o banco da rodoviária da cidade. Estava na praça desde bem cedinho e já tinha até entrado na igreja e participado da  missa das seis horas de toda quinta-feira.

      Verdade ? Não sei ! Tinha fundamento o que ele dizia, então preferi acreditar.
    Mas ele precisava de uma passagem de ônibus que o levaria até Marília , onde iria procurar um abrigo . No abrigo, disse ele, vou estar em segurança e protegido . E eles me encaminharão ao meu destino.
    Não tinha dinheiro ali comigo naquele momento , mas arranjei uma solução . Era preciso ajudá-lo a chegar pelo menos até o abrigo . Entrei em contato com outra alma boa que me levou a quantia suficiente para uma passagem e um possível lanche
    . Depois de muitos agradecimentos , ele partiu rapidamente em direção à rodoviária .

    LEVAR PARA A VIDA:
    O nosso próximo é qualquer pessoa que esteja em nosso caminho; é qualquer alma neces­sitada de auxílio; é aquele que tem fome, que tem sede, que está desamparado, que está sofrendo na prisão ou no leito de dor...
    Nosso dever é imitar sempre o Bom Sama­ritano da parábola.
     Estarmos sempre prontos para socorrer quem so­fre, como o bondoso samaritano fez, sem qualquer indagação ao necessitado?
    Imitar o Bom Samaritano é o que Jesus pede ao nosso coração:
     “Vá e faça o mesmo”, sempre, em toda parte, com quem quer que seja.
    Este é o caminho da felicidade eterna, com Jesus. A caridade sem interesses é aquela que é praticada com amor, sem sabermos a quem estamos ajudando
    .Apenas por amor , independente de cor , raça ou religião ou posição social Este é o caminho da felicidade eterna, com Jesus.

    GESTO CONCRETO : visitar um doente na cidade