quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Fórmula de Oração do Cerco de Jericó para Leigos- 1ª parte


* Extraída do livro do Padre Rogério Canciam
A fórmula simplificada da oração do Cerco de Jericó poderá ser proferida por qualquer pessoa, em casa ou diante do Santíssimo Sacramento, e deverá ser realizada durante sete dias seguidos. 
1.  Inicie a oração do Cerco de Jericó professando a fé cristã: 
Creio em Deus Pai Todo-Poderoso,
Criador do céu e da terra,
creio em Jesus Cristo Nosso Senhor,
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo,
nasceu da Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos,
foi crucificado, morto e sepultado,
desceu à mansão dos mortos,
ressuscitou ao terceiro dia,
subiu aos céus,
está sentado à direita de Deus Pai,
de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo,
na Santa Igreja Católica,
na comunhão dos Santos,
na remissão dos pecados,
na ressurreição da carne,
na vida eterna.

2.  Revista-se com a armadura de Deus, vestes espirituais de Efésios 6,10-18:
Revisto-me da armadura de Deus, para resistir às ciladas do demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que tenho de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares. Tomo  a armadura de Deus, para resistir nos dias maus e manter-me inabalável no cumprimento do meu dever cristão. Permaneço alerta, à cintura cingido com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. Embraço o escudo da fé para apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomo o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus. Intensifico as minhas invocações e súplicas. Oro em toda circunstância, pelo Espírito, no qual persevero em intensa vigília de súplica por todos os cristãos.

3.  Assuma sua autoridade espiritual e derrube as fortalezas da mente que impõem condição racional ao plano de Deus – II Corintios 10,3-7:

Porque, ainda que eu viva na carne, não milito segundo a carne. Não são carnais as armas com que eu luto. São poderosas, em Deus, capazes de arrasar fortificações. Na qualidade de filho(a) do Senhor, batizado(a) na Sua Igreja, eu aniquilo todo raciocínio e todo orgulho que se levanta contra o conhecimento de Deus, cativo todo pensamento e o reduzo à obediência a Cristo.
4.  Recite o Salmo 90 (Ave Maria) e reforce a sua fé, reassuma a sua característica de filho de Deus e deixe-se envolver pela presença do Senhor:
Tu que habitas sob a proteção do Altíssimo, que moras à sombra do Onipotente, dize ao Senhor: Sois meu refúgio e minha cidadela, meu Deus, em que eu confio. É ele quem me livrará do laço do caçador, e da peste perniciosa. Ele me cobrirá com suas plumas, sob suas asas encontrarei refúgio. 
Sua fidelidade me será um escudo de proteção. Eu não temerei os terrores noturnos, nem a flecha que voa à luz do dia, nem a peste que se propaga nas trevas, nem o mal que grassa ao meio-dia. Caiam mil homens à minha esquerda e dez mil à minha direita, eu não serás atingido(a). 
Porém verei claramente, contemplarei o castigo dos pecadores, porque o Senhor é meu refúgio. Escolhi, por asilo, o Altíssimo. Nenhum mal me atingirá, nenhum flagelo chegará à minha vida, porque aos Seus anjos Ele mandou que me guardem em todos os meus caminhos. 
Eles me sustentarão em suas mãos, para que eu não tropece em alguma pedra. Sobre serpente e víbora andarei, calcarei aos pés o leão e o dragão. ‘Pois que se uniu a mim, eu te livrarei; e o(a) protegerei, pois conhece o Meu nome. Quando você me invocar, eu o(a) atenderei; na tribulação estarei ao seu lado. Hei de livrá-lo(a) e o(a) cobrirei de glória. Será favorecido(a) de longos dias, e mostrar-lhe-ei a minha salvação.’
5.  Ao sentir-se cheio do Espírito Santo, como Nossa Senhora no momento da concepção, cante a Magnífica (Lucas 1,46-55):
Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua (seu) pobre serva(o). 
Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada(o) todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. 
Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. 
Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. 
Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes. 
Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos. 
Acolheu a mim, (diga seu nome), sua serva (seu servo), lembrado da sua misericórdia, conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre.



domingo, 17 de setembro de 2017

O que é CERCO DE JERICÓ


A História do Cerco de Jericó


O Cerco de Jericó consiste em uma semana incessante de batalha espiritual, com intensificação da oração pessoal e comunitária, missa diária, adoração ao Santíssimo, confissão, jejum, pregação da Palavra de Deus e o Terço de Nossa Senhora.

Por que “Cerco de Jericó”?

Um fato do Antigo Testamento nos mostra a conquista da cidade de Jericó pelos judeus, liderados por Josué (Js 6,1ss). Josué foi formado por Moisés, desde sua juventude, para substituí-lo. A Bíblia nos mostra que a mesma força que estava com Moisés, esteve também neste jovem, que ao assumir o encargo de dar continuidade na tomada de posse da terra prometida, recebeu a autoridade espiritual e o governo sobre as tribos de Israel.
Jericó era uma cidade fortificada e inacessível, com imensas muralhas ao redor. Na conquista de Jericó, encontramos o exército de Israel desanimado diante da imensa dificuldade de tomar aquela cidade. O desânimo já havia tomado conta de muitos que duvidavam da promessa de Deus. Esta promessa dizia que não seria pela força humana que aquela cidade seria conquistada, mas Deus mesmo é quem agiria.
O plano da vitória foi revelado por Deus, de um modo concreto e detalhado. Durante seis dias o povo deveria dar uma volta em torno da cidade. No sétimo dia, sete voltas. Josué e todo Israel executaram fielmente as ordens recebidas. Durante a sétima volta, ao som da trombeta, todo o povo levantou um grande clamor e, pelo poder de Deus, as muralhas de Jericó caíram.


A exemplo de Josué, diante das muralhas de Jericó, devemos cercar nossos inimigos com orações e louvores e esperar que Deus mesmo haja em nosso favor. Para isto, precisamos ser perseverantes e persistentes até o fim.
Esse é o objetivo do Cerco de Jericó: derrubar as muralhas pela força da oração. Precisamos tomar consciência de que o Espírito Santo pela força da oração é capaz de derrubar, destruir e aniquilar as forças malignas. 



O terço de Nossa Senhora e o silêncio fecundo em frente ao Senhor Eucarístico, vão semeando a terra de nossa alma e também quebrando os alicerces das muralhas. Acreditamos que muitas curas e libertações acontecerão: portas que estavam fechadas se abrirão, crises conjugais e econômicas, doenças, e tantos outros problemas serão solucionados. Mas, o mais importante será o poder de Deus derramando o Espírito Santo sobre o povo, o Evangelho crescendo, sendo anunciado, sendo acolhido e transformando vidas.


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Encontro de Catequese para o mês da Bíblia: "A BÍBLIA E O CELULAR"

Quando encontrei tuas palavras, alimentei-me; elas se tornaram para mim uma delícia e a alegria do coração, o modo como invocar teu nome sobre mim, Senhor Deus dos exércitos.” (Jr 15,16) 


Encontro de Catequese para o mês da Bíblia: "A BÍBLIA E O CELULAR"


Acolhida Acolher os catequizandos com alegria e cânticos animados. Se possível, cantar músicas que falem sobre a Bíblia.Oração Inicial – Livre
Recordando o encontro anterior Relembrar o que aprendemos no encontro anterior e corrigir as atividades propostas.

Motivação (ver): 

- Preparar um ambiente acolhedor, com flores e uma Bíblia bem bonita;
- Perguntar aos catequizandos, como eles tratam o celular e como eles tratam a Bíblia. Depois que todos partilharem sobre esta comparação, o catequista lê a história “A Bíblia e o celular”.

A BÍBLIA E O CELULAR 

Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular? E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa? 

E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório…?
E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se a déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?
Ao contrário do celular, a Bíblia não fica “muda” é só abri-la e Deus fala contigo. Ela “pega” em qualquer lugar. 

Não precisa pagar para ter créditos, automaticamente ao ler e praticá-la os créditos caem em sua conta, porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim. E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida. 
Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. (Is 55,6)

Colocação do tema (julgar):

- Conversar com as crianças sobre a importância da Bíblia em nossa vida.
Agir Transformador (ação):

- Pedir para cada catequizando ler um trecho da Bíblia em família todos os dias;
Atividade – Lição 04 do livrinho. 

Obs:
Trabalhar o questionário da gincana em sala.

Evangelho do dia Mt 18, 15-20

Oração Final – Livre.

“Pois, onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí, no meio deles”. Mt 18,20


domingo, 10 de setembro de 2017

Encontro de catequese : MÊS DA BÍBLIA



Setembro Mês da Bíblia

Setembro é o mês que a Igreja dedica a palavra de Deus

OBJETIVOS:

 - reconhecer a importância da Bíblia.
- aprender a procurar textos na Bíblia.
- incentivar leituras bíblicas na família.

DESENVOLVIMENTO DO ENCONTRO:

1 - ACOLHIDA (como de costume)

2 - NOSSA VIDA

Dinâmica: fazer uma roda no chão com giz. No centro, colocar livros (de português, de matemática, cartilhas, estorinhas...).

Pedir aos catequizandos:

a - Vamos contornar a roda, andando na linha, um pé atrás do outro.
b - observem os objetos que estão dentro da roda.
c - depois de 3 a 4 voltas, pedir para pararem.
d - perguntar:

- o que vocês observaram no centro da roda?
- (chame um catequizando pelo nome), o que você aprende com este livro?
- onde vocês usam esses livros? (na escola, em casa)
- quando vocês vêm a igreja, vocês trazem esses livros?
- na igreja ou em grupos de oração, são feitas leituras. Vocês sabem de qual livro são feitas essas leituras? (da Bíblia)
 - o que a Bíblia que nos ensinar com suas leituras? (ouvir as respostas)
- vocês sabem qual é o mês e o dia da Bíblia? (setembro, dia 30)


3 - ILUMINANDO NOSSA VIDA

O Mês de Setembro é o mês da Bíblia, momento que nos convida a conhecer melhor e amar este (mostrar uma Bíblia) livro que conta a história do amor de Deus por nós.


Ler 2Tm 3, 16-17



4 -CELEBRANDO O NOSSO ENCONTRO

Cada um de nós vai segurar a Bíblia, levá-la ao coração com fé e respeito e dizer: Pai do Céu, obrigado(a) pela Tua Palavra.

Vamos todos repetir juntos o versículo 105 do salmo 118:

Tua Palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho.


Cantar: Toda Bíblia é comunicação.



Para o catequista :

Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça ” (2Tm 3,16). A Bíblia foi escrita por pessoas chamadas e escolhidas por Deus e que foram inspiradas através do Espírito Santo. Ela revela o projeto de Deus para o mundo; serve para que todos possamos crescer na fé e levar uma vida de acordo com o projeto de Deus. Por isso, ela é a grande “Carta de Amor” de Deus à Humanidade.

A Palavra de Deus nos revela o rosto de Deus e seu mistério. Ela é a história do Deus que caminhou com seu povo e do povo que caminhou com seu Deus.



domingo, 27 de agosto de 2017

PARABÉNS , CATEQUISTA !


Catequista você é um anjo que Deus colocou aqui na terra, tem o dom de contagiar as pessoas, de transmitir a palavra de Deus!
Ser catequista não é fácil, é uma tarefa que precisa de muita determinção, ânimo e coragem. Pois catequizar é educar crianças, jovens e adultos na fé. Uma educação que será levada por toda sua vida!
É preparar encontros, mesmo que não tenha tempos, mas mesmo assim não lhe falta ânimo..
É chegar com sorrisos, mesmo que sua vida não seja aquele sorriso. É trazer cada vez mais crianças, jovens e adultos para a Igreja, é o catequista que traz pessoas para a comunidade!
É alegria do catequista que contagia a todos.. ser catequista não é fácil, mas só quem é catequista pode saber como é uma missão divertida, gratificante!
Não ganhamos dinheiro, mais ganhamos algo bem melhor, o sorriso de uma criança, o agradecimento de um pai! Ser catequista é ver que a semente que plantamos deu frutos!
Parabéns Catequistas por essa missão tão linda.
Que Deus esteja abençoando a cada um, que ele esteja perto de cada um, derramando sobre vocês a benção dele, dando paciência, ânimo, coragem e força para continuar essa missão!
Que Nossa Senhora esteja colocando o manto sagrado dela em cima de vocês, e que as palvras que saiam de nossa boca sejam sempre proferidas por eles..
Que não seja a gente falando, mas sim Deus falando por nós!


Parabéns catequista , pelo dia dedicado a você ! Você merece todas as homenagens .


Leia também :
http://kantinhodasmensagens.blogspot.com.br/2017/08/homenageando-o-catequista.html

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

dinâmica para encontro de pais na catequese




Preparação:

Providenciar duas folhas de cartolina, ou de papel pardo (papel de embrulho); canetões pretos e coloridos; cola para papel.
Escolher duas pessoas para levarem o cartaz no início do encontro; e escolher mais três pessoas para uma atividade.

Acolhida:

À medida que as famílias vão chegando, pedir que um dos membros escreva o sobrenome da família na cartolina (ou papel pardo), com canetão preto.

Oração inicial:

O/A catequista dá as boas-vindas e faz a acolhida das famílias com o sinal da cruz. Depois, convida a cantar. (sugestão: Reunidos aqui, para louvar o Senhor)

Enquanto se canta, entra o cartaz com o nome das famílias. Ele é colocado na frente, preso em um quadro ou parede.

Então, as duas ou três pessoas escolhidas para a atividade recebem um canetão, de cores diferentes, e vão ligar os nomes, um a outro, formando uma rede colorida. (Continuar a cantar até que a rede esteja pronta).

Perguntar a todos o que significam as linhas que unem os sobrenomes das famílias. (dar alguns minutos para que falem).

{A rede de famílias representa as relações entre as famílias na comunidade, bem como os elos que formam novas famílias}




Em seguida, um(a) catequista proclama a Palavra de Deus: Gn 2,18-24
Fazer alguns minutos de silêncio, e convidar todos a rezar a

 Oração da Família do Papa Francisco:

Jesus, Maria e José, em Vós contemplamos o esplendor do verdadeiro amor e, confiantes, a Vós nos consagramos.

Sagrada Família de Nazaré, tornai também as nossas famílias lugares de comunhão e cenáculos de oração, autênticas escolas do Evangelho e pequenas igrejas domésticas.

Sagrada Família de Nazaré, que nunca mais haja nas famílias episódios de violência, de fechamento e divisão; e quem tiver sido ferido ou escandalizado
seja rapidamente consolado e curado.

Sagrada Família de Nazaré, fazei que todos nos tornemos conscientes do carácter sagrado e inviolável da família, da sua beleza no projeto de Deus.
Jesus, Maria e José, ouvi-nos e acolhei a nossa súplica.
Amém.


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

SEMANA NACIONAL DA FAMÍLIA





A família é muito mais do que um simples grupo de pessoas, unidas de qualquer jeito, e vivendo juntas na mesma casa. É muito mais do que isso, ela é a célula mãe da humanidade.
Quando Deus quis que a humanidade existisse, a projetou baseada na família; por isso ela é sagrada. Não foi um Papa, um Bispo ou um Cardeal que a instituiu, mas o próprio Deus, para que ela fosse o berço e o escudo de proteção da vida humana na terra.
Marcada pelo sinete divino, a família, em todos os povos, atravessou os tempos e chegou até nós no século XXI. Só uma instituição de Deus tem esta força.
Ninguém jamais destruirá a força da família por ser ela uma instituição divina. Para vislumbrar bem a sua importância basta lembrar que o Filho de Deus, quando desceu do céu para salvar o homem, ao assumir a natureza humana, quis nascer numa família.


?FAMÍLIA : Lugar do encontro e do perdão


Vida familiar é um lugar privilegiado para que os relacionamentos entre pessoas aconteçam. Um lar harmonioso começa a ser construído à medida que se procura amadurecer as relações. Para que isto aconteça é necessário paciência, diálogo e desejo sincero de querer que estes encontros aconteçam. Nenhum pai ou mãe tem o direito de repetir com os seus filhos os desencontros que teve em seu ambiente familiar. Por isso mesmo é necessário que o casal se conheça bem e tenha feito uma experiência madura durante o seu tempo de namoro.

Encontrar-se em família pode ser uma das experiências mais enriquecedoras que fazemos ao longo de nossa vida. Família é um espaço sagrado onde o amor deve reinar. Em um ambiente, no qual o outro não se sente amado e acolhido, sentirá que nunca poderá ser compreendido. Jesus nos ensina que uma relação bem sucedida exige que estejamos de coração aberto.

As melhores reuniões em família nascem na espontaneidade do dia a dia. Todo momento em família é oportunidade para que todos se encontrem. Pai e mãe, filhos e pais, netos e avós… Cada encontro é uma oportunidade para demonstrarmos às pessoas que convivem conosco o quanto as amamos. Perdemos grandes oportunidades, ao longo de nossa vida, de fazermos de cada momento em nossa família um tempo único e especial.

Um verdadeiro encontro só acontece quando há disponibilidade de ambas as partes. Ninguém se encontra sozinho. Encontramo-nos à medida que nos encontramos com outras pessoas, pois o outro nos ajuda a nos conhecermos a cada dia um pouco mais.

A família é um lugar de perdão, misericórdia, reconciliação e oração entre pessoas, as quais, ao longo da vida, fazem a experiência de amor entre si.